IMG_5894.JPG

   No dia 1º de maio de 1865, Nhá Chica pagou a licença de 2$000 (dois mil réis) à Câmara Municipal de Baependi para construir a capela em devoção a Imaculada Conceição. Por ser analfabeta, o procurador João Evangelista de Souza assinou para ela. 

   Nhá Chica levou cerca de trinta anos para concluir a construção da capela, iniciada em 1867. Henrique Monat descreve  em seu livro Caxambu (1894) o relato de Nhá Chica sobre a preocupação como término da obra: "Nossa Senhora me ouviu sempre (...) Eu só tenho medo de não acabar a minha igreja, por isso rezo toda noite assim: - Vancê não me engane, deixe-me  acabar o frontispício, depois pode me levar. Eu hei de acabar a igreja, o poder de Deus é grande".

Foto: Arquivo do Santuário

Após a morte da Beata Nhá Chica, em 1895, a Capela de Nossa Senhora da Conceição passou aos cuidados da Paróquia Santa Maria de Baependi que, em 1942, resolveu demoli-la sob a alegação de que era pequena para receber o grande número de fiéis que aumentava a cada ano. Nessa época, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição começou a ser reconstruída no mesmo lugar da antiga capela, sem que o túmulo de Nhá Chica fosse removido do local. E, em 14 de junho de 1945, ela foi inaugurada. Nesta ocasião, foi colocada a imagem do Cristo Redentor no alto da torre, a abençoar a cidade.

   

IMG_5897_edited.jpg

Foto: Arquivo do Santuário

IMG_5901_edited.jpg

Foto: Arquivo do Santuário

Em 1969, a superiora das Irmãs Franciscanas do Senhor, juntamente com os devotos de Nhá Chica, realizaram a segunda reforma estrutural da Igreja, quando foi aumentada a nave e construída uma nova torre no formato atual.

IMG_5555_edited.png

Foto: Santuário/ Vitória Guedes

A última reforma foi iniciada em 15 de julho de 2019, e finalizada no dia 2 de dezembro de 2019, com a benção do novo altar e elevação de igreja para santuário.